EMPURRE SUA VACA PARA O PENHASCO!

“Um mestre e seu discípulo estavam andando há alguns dias em um campo, até que encontraram uma humilde casa de madeira, na qual vivia um casal e seus três filhos.

Eles eram pessoas muito pobres, vestiam roupas velhas e sujas e estavam descalços, com fome e doentes.

O Mestre se dirigiu ao pai e perguntou como a família estava fazendo para conseguir sobreviver, visto que estavam em um lugar praticamente deserto, em que não havia indústrias ou comércio.

O pai respondeu:


— Nós temos uma vaquinha que nos fornece vários litros de leite todos os dias, uma parte desse leite nós vendemos, e com o dinheiro compramos outras coisas, a outra parte do leite nós usamos para nosso próprio consumo, desta forma conseguimos sobreviver.


O mestre agradeceu a informação, despediu-se e foi embora.

Quando estavam saindo da casa, ele disse ao seu discípulo:


— Procure a vaquinha, e sem que as pessoas vejam, leve-a ao precipício e empurre-a.

O jovem ficou triste e chocado com o pedido de seu mestre, afinal a vaquinha era o único meio de sustento da família, no entanto, ele acreditava que havia uma razão para isso, então levou a vaquinha ao precipício e a empurrou.


Essa cena ficou gravada em sua mente por muitos anos.

Já havia se passado algum tempo e o discípulo não tinha conseguido perdoar nem a si mesmo e nem o seu mestre pelo que tinham feito àquela família. Então, decidiu abandoná-lo e retornar àquele lugar levando consigo alimentos e roupas para se desculpar com a família. Quando estava chegando perto, o discípulo viu que as coisas haviam mudado.

No lugar da antiga casa havia agora uma bela casa, cercada por árvores, muitas crianças saudáveis brincando e um carro novo.

O jovem estava desesperado porque acreditava que a família tinha vendido sua casa para poder sobreviver, mas quando chegou bem na frente da casa, percebeu que ainda era habitada pelas mesmas pessoas, então ele perguntou ao pai o que tinha acontecido para que mudassem de vida dessa maneira.

E o pai, sorrindo, lhe respondeu:


— Tínhamos uma vaquinha cujo leite nos permitia sobreviver, mas um dia ela simplesmente caiu de um penhasco e morreu, então, tivemos que fazer outras coisas para podermos continuar vivendo.

Foi nessa época que desenvolvemos outras habilidades que nunca imaginamos possuir, assim começamos a prosperar e nossa vida se transformou completamente.


Nesse momento, o discípulo compreendeu seu mestre, e percebeu que só podemos transformar nossas vidas quando temos atitude e saímos de nossa zona de conforto.”

(Conto de autor desconhecido)


Podemos associar essa história com as nossas vidas, assim como a família, todos nós temos nossa própria vaquinha a qual nos apegamos, que nos fornece uma segurança mas não nos leva para frente.

Pode ser um relacionamento romântico, uma amizade, um trabalho, um comportamento, um estilo de vida.

O que você faria se amanhã sua vaquinha caísse do precipício?

O que aconteceria com sua vida se aquilo que lhe dá segurança simplesmente se fosse?

Pode ter a certeza que não será uma fase fácil, porque mudanças costumam ser difíceis e dolorosas, entretanto, podem nos trazer uma realidade melhor, tudo depende de como encaramos as coisas, de como enfrentamos as dificuldades do cotidiano.

Se precisarmos fazer uma mudança em nossa vida, façamos hoje! Esta é uma atitude que nos da Funclob - Fundação Clóvis Bevilaqua estamos tendo, nós ficaremos situados na "zona de conforto" com tanto para ser feito, com tanto Brasil para construir.

Não esperaremos nossa "vaquinha" cair do penhasco e ficar lamentando somente.

Comecemos hoje a trabalhar e desenvolver novas habilidades que nos levarão e aos nossos a uma vida muito feliz.

Não tenhamos medo, Somos fortes! Somos Funclob! Vamos a luta!!!


Texto: Prof. Geraldo De Paula








4 visualizações0 comentário